Idosos

Ministério Público lança cartilhas para auxiliar idosos

Tainah Medeiros
cartilhas

Foto: divulgação/MP-SP

A população de homens e mulheres acima dos 60 anos cresceu nas últimas décadas. Pode-se dizer que parte desse aumento é reflexo da melhora na qualidade de vida e de maior acesso aos serviços de saúde. Pensando em aumentar ainda mais a quantidade de pessoas nessa faixa, o Ministério Público do Estado de São Paulo lançou na última sexta (22/11/2013) duas cartilhas de orientações para os idosos: um guia sobre serviços públicos e outro sobre medicamentos.

Segundo a promotora Anna Protta Yaryd, coordenadora do projeto, a ideia partiu da premissa de que, embora muitas pessoas conheçam seus direitos, ao mesmo tempo ainda têm muitas dúvidas, principalmente em relação à área da saúde, e encontram dificuldades para encontrar respostas. “Foi justamente enxergando esse problema que decidimos fazer a cartilha. Muitas das respostas você consegue encontrar na internet, mas exigem um tempo de busca e às vezes são difíceis de localizar. Como queremos que a informação chegue aos idosos, que nem sempre têm acesso fácil à rede, reunimos tudo de importante em um único lugar.”

No primeiro guia, o idoso encontra informações sobre  como ser atendido pelo SUS, quais são os serviços existentes em São Paulo, os endereços de cada um, quais as regras do transportes públicos para a terceira idade e orientação sobre como e a quem reclamar em casos de violência, maus tratos ou se não for atendido em serviços de saúde. Como a cartilha é dividida por região e subprefeitura, fica mais fácil para o idoso localizar o estabelecimento de saúde mais próximo de sua residência.

O segundo traz principalmente informações sobre medicamentos, com orientações sobre fornecimento gratuito de remédios pelas redes municipal e estadual de saúde, explicações sobre alguns programas da rede pública (como o Programa de Automonitoramento Glicêmico, o Programa de Dispensação de Fraldas para Incontinência e o Programa Pulmão Paulistano, para a obtenção de oxigênio), além de orientações sobre o que são medicamentos genéricos e similares. Na mesma cartilha, o idoso encontra informações sobre cuidados preventivos como, por exemplo, alimentação balanceada e riscos de queda.

“Grande parte da nossa sociedade não é usuária do SUS e consequentemente não sabe como o sistema funciona, nem como usá-lo. O problema é que, conforme as pessoas vão envelhecendo, muitas deixam de ser usuárias de planos de saúde devido às taxas altas para essa faixa etária e acabam precisando recorrer ao SUS, mas não sabem nem por onde começar. Durante um ano e meio, conversei com técnicos da área para entender o funcionamento e colher informações sobre o SUS. Descobri que, mesmo trabalhando muito tempo com saúde, havia coisas que eles não sabiam como funcionava. Imagine quem não convive com isso sempre?”, comenta Yaryd.

As 10 mil cartilhas (5 mil de cada) serão distribuídas em unidades das Coordenadorias De Recursos Humanos, da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo e também pelo site do Ministério da Saúde. “Gostaríamos que as informações chegassem às pessoas que mais precisam. Como são poucos exemplares, optamos pelas Coordenadorias de Saúde de cada região da capital. O ideal seria distribuir em UBSs, mas não teríamos quantidade suficiente para abastecer 475 unidades. Quem sabe no futuro, se a gente conseguir patrocínio, possamos fazer mais”, afirma a promotora.

Veja a cartilha com informações sobre serviços públicos clicando aqui e o guia com orientações sobre medicamentos aqui.