Aleitamento Materno

Semana do Aleitamento Materno ressalta importância da amamentação

Tainah Medeiros

A Semana Mundial do Aleitamento Materno começa nesta terça-feira (01/08/2012) e vai até o dia 07/08/2012. A iniciativa da OMS (Organização Mundial da Saúde) tem como objetivo estimular a amamentação e melhorar a saúde de crianças menores de 5 anos em mais de 170 países.

* Primeiros cuidados com o bebê
Vantagens do leite materno em relação aos outros

A comemoração não é à toa, a data celebra a assinatura da Declaração de Innoceti, em agosto de 1990, documento que estabelece um comitê nacional de coordenação da amamentação e uma legislação para proteger a mulher que amamenta no trabalho.

É por meio do aleitamento materno que o recém-nascido recebe os nutrientes necessários para o organismo, por isso é essencial que eles sejam alimentados durante os primeiros seis meses exclusivamente com leite materno. Porém, no mundo isso acontece com menos de um em cada três bebês. A partir dos seis meses podem ser acrescentado alimentos complementares, de preferência na forma pastosa, associados com a amamentação, que ainda deverá ser mantida por dois anos ou mais.

Vale lembrar que a malnutrição responde por uma em cada três mortes entre crianças menores de 5 anos, sendo mais de dois terços associadas a alimentação inapropriada no primeiro ano de vida da criança.

No caso do colostro (leite mais grosso e de cor amarelada produzido ao final da gestação), a recomendação é que ele seja dado ao recém-nascido até uma hora após o parto.

Benefícios do leite materno

Segundo o Ministério da Saúde, o aleitamento materno funciona como uma verdadeira vacina e protege a criança de muitas doenças, como a anemia. Além disso, o leite é rico em molécula PSTI, responsáveis por proteger e reparar o intestino do bebê, o que é ótimo para evitar as cólicas intestinais que afligem os pequenos com frequência neste período.

Outro benefício é a sucção do peito que a amamentação exige. O movimento é um excelente exercício para o desenvolvimento dos músculos da face da criança e ajuda na formação da arcada dentária, da fala e, ainda, melhora a respiração da criança.

O aleitamento materno auxilia também a recuperação da mãe, diminundo o risco de hemorragia, anemia, diabetes, câncer de mama e de ovário. E mais: ainda ajuda a perder os quilinhos adquiridos durante a gravidez e a estreitar os laços entre a mãe e o bebê.