Atenção

Material genético do zika vírus é encontrado em duas gestantes

Tainah Medeiros com informações do MS

Há a hipótese de relação entre o vírus e casos de microcefalia, mas análises ainda não foram concluídas.

 

O Ministério da Saúde divulgou nessa terça-feira, dia 17/11, o primeiro boletim epidemiológico sobre o aumento dos casos de microcefalia em sete cidades do Nordeste, e uma das hipóteses principais é a infecção por Zika virus.

Leia também: Casos de microcefalia preocupam Pernambuco e MS declara alerta

O Laboratório de Flavivírus, da Fiocruz, detectou material genético do vírus nas amostras de líquido amniótico de duas gestantes da Paraíba, mas tanto o Ministério da Saúde quanto o instituto ressaltam que ainda não é possível ter certeza sobre a causa para o aumento de microcefalia registrado.

Em nota oficial, a pasta afirma que todas as hipóteses estão sendo minuciosamente analisadas e qualquer conclusão neste momento é precipitada, já que as análises não foram finalizadas.

Até agora, foram notificados 399 casos da má-formação em recém-nascidos de sete estados da região Nordeste. O maior número de casos foi registrado em Pernambuco (268), primeiro estado a identificar aumento de microcefalia. Em seguida, estão os estados de Sergipe (44), Rio Grande do Norte (39), Paraíba (21), Piauí (10), Ceará (9) e Bahia (8).

tabelas-microcefalia1-2
A microcefalia é uma má-formação congênita em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada. Neste caso, os bebês nascem com perímetro cefálico menor que o normal, que habitualmente é superior a 33 cm. Esse defeito congênito pode ser efeito de uma série de fatores de diferentes origens, como exposição a substâncias químicas e a agentes biológicos (infecciosos), como bactérias, vírus e radiação.

Orientações

  • Gestores e profissionais de saúde: o Ministério da Saúde orienta que todos os casos de microcefalia sejam comunicados imediatamente por meio de um formulário online que, a partir desta quarta-feira (dia 18/11/2015), estará disponível a todas as secretarias de saúde.
  • Gestantes: é necessário que mantenham o acompanhamento e as consultas de pré-natal, com a realização de todos os exames recomendados pelo médico. O ministério reforça ainda a orientação de não consumirem bebidas alcoólicas ou qualquer outro tipo de drogas, não utilizarem medicamentos sem orientação médica e evitarem contato com pessoas com febre ou infecções.
  • É importante, também, que as gestantes adotem medidas que possam reduzir a presença de mosquitos transmissores de doença, com a eliminação de criadouros, e que se protejam da exposição aos mosquitos. Para isso, a orientação é manter portas e janelas fechadas ou teladas, usar calça e camisa de manga comprida e utilizar repelentes permitidos para gestantes.

Veja abaixo número de casos de microcefalia registrado em todo o país em anos anteriores.

microcefalia