Doenças e Sintomas

Verrugas

Verrugas são tumorações benignas de pele causadas pelo papiloma vírus humano (HPV). Esse vírus ativa o crescimento anormal de células da epiderme, que são lançadas para a superfície do corpo formando as verrugas. O aspecto, tamanho e forma dessas lesões estão diretamente ligados a um ou vários dos diferentes sorotipos de HPV responsáveis pela infecção.

O contágio pode ocorrer por contato direto com pessoas e objetos infectados, por autoinoculação através de pequenos ferimentos que servem de porta de entrada para o vírus, nas relações sexuais e por via materno-fetal no momento do parto.
Pacientes imunodeprimidos são os mais vulneráveis ao aparecimento de verrugas causadas pelo HPV.

Classificação

As verrugas podem ocorrer em qualquer região do corpo. Conforme sua localização e formato, são classificadas em:

1)    Verrugas vulgares: é o tipo mais comum. Em geral, as lesões arredondadas ou irregulares, endurecidas e ásperas podem guardar alguma semelhança com o aspecto de uma couve-flor. No inicio, elas costumam ser claras, esbranquiçadas, com pontos escuros, mas podem mudar de cor com o passar do tempo. As verrugas vulgares aparecem especialmente nas áreas expostas a maior atrito, como mãos, dedos, cotovelos, joelhos e ao redor das unhas (verrugas periungueais), isoladamente ou em placas.  Apesar de a infecção ocorrer em qualquer idade, é prevalente na infância e na adolescência.

2)    Verrugas planas: sua principal característica é a confluência de múltiplas pequenas pápulas amareladas ou acastanhadas, de no máximo 5mm, pouco proeminentes e mais macias do que as verrugas vulgares. Elas surgem preferencialmente na face.

3)    Verrugas plantares: as lesões dolorosas desenvolvem-se na planta dos pés e, muitas vezes, são confundidas com os calos. Sua área central irregular é circundada por uma camada endurecida da epiderme. O peso que o corpo exerce sobre elas faz com que cresçam para dentro da sola do pé, o que provoca dor quando a pessoa anda. A confluência de verrugas menores pode favorecer a formação de placas que caracterizam as verrugas plantares em mosaico. A presença de pequenos pontos escuros no centro das lesões sugeriu o nome popular de “olho de peixe” pelo qual também são conhecidas.

4)    Verrugas filiformes: são lesões finas e alongadas que se projetam para fora da epiderme da face, pescoço, pálpebras e lábios especialmente nas pessoas mais velhas.

5)    Verrugas anogenitais ou condilomas acuminados: essas verrugas podem ser precursoras de tumores malignos, como o câncer de colo de útero e de pênis. As lesões se formam nas mucosas das regiões genital, perianal, oral e na uretra. São pápulas macias, rosadas e vegetantes, isto é, com a aparência de uma couve-flor, que podem unir-se formando blocos e ocupar áreas extensas. Quando isso acontece, as lesões chegam a obstruir a vulva e o ânus e o quadro recebe a denominação de condiloma acuminado gigante de Buschke e Lowoenstein.

Sintomas

Exceção feita às verrugas plantares, que doem quando a pessoa caminha e podem sangrar, e às anogenitais, que podem coçar um pouco, as verrugas costumam ser assintomáticas.

Diagnóstico

O diagnóstico é clínico, tomando como base o aspecto e localização das lesões. Exames laboratoriais, como o Papanicolaou, a colposcopia, e a biópsia são úteis para identificar os sorotipos de HPV envolvidos e estabelecer o diagnóstico diferencial com outras patologias.

Prevenção

Como a transmissão dos vários sorotipos de HPV, que são a causa das verrugas anogenitais ocorre por via sexual ou da mãe para o filho na hora do parto, o uso de preservativos em todas as relações sexuais é a melhor forma de prevenir esse tipo infecção.
Da mesma forma, o fato de ela ser transmitida por autoinoculação, é importante não coçar nem ferir as lesões para que o vírus não penetre por escoriações na pele.

Tratamento

Grande parte das verrugas comuns desaparece espontaneamente depois de algum tempo. Nos outros casos, o tratamento pode consistir no uso local de medicamentos específicos que promovem a cauterização química, ou na remoção cirúrgica das lesões por meio da eletrocauterização, crioterapia (destruição das lesões com nitrogênio líquido), laser ou cirurgia convencional em casos de câncer instalado.

Recomendações

* Não tente acabar com as verrugas sem o acompanhamento de um médico dermatologista. Nessa tentativa, você pode provocar infecções e reinfecções com consequencias graves;

* Vale sempre lembrar que, quanto antes for instituído o tratamento, melhor será o prognóstico. Embora longo, ele costuma apresentar bons resultados, desde que corretamente orientado.