Mitos e verdades

Entrar na água depois de comer realmente faz mal?

Tainah Medeiros

Quem não tinha uma piscina sempre à disposição quando criança deve se lembrar de como aproveitar cada instante dentro da água era fundamental. Tanto que muitos teimavam para sair na hora do almoço, temendo o tempo que muitas mães impunham antes que se pudesse mergulhar de novo. Uma hora, uma hora e meia, diz-se que algumas chegavam a barra o retorno à água por duas horas. Há quem ache que essa história não passa de uma lenda e há quem acredite fielmente que entrar na água com o estômago cheio pode trazer complicações.

* Entenda o funcionamento dos intestinos
O que é má digestão? 

Estão certos os que acreditam na legitimidade da ordem materna. Mas o fisiologista Turíbio Leite, coordenador do CEMAFE (Centro de Medicina da Atividade Física e do Esporte) da Universidade Federal de São Paulo, explica que o problema não é somente nadar, e sim qualquer tipo de atividade física após as refeições. “Quando há alimento para ser digerido, o estômago precisa receber fluxo sanguíneo, mas ao fazer exercícios, o organismo passa a priorizar a distribuição do sangue para os músculos, deixando o estômago de lado”.