corpo humano

Rim

transp_rim
image-36262

Os seres humanos possuem dois rins, que são glândulas de cor vermelho-escuro, em forma de feijão, localizadas na região posterior do abdômen, atrás do peritônio e ao lado da coluna vertebral, na região lombar. O rim direito encontra-se logo abaixo do fígado e o esquerdo, abaixo do baço. Acima de cada rim encontramos a glândula suprarrenal.

Pesam cerca de 150g cada e são envoltos por um tecido fibroso chamado cápsula renal. Ao redor de cada órgão existe um acúmulo de tecido adiposo.

Fazem parte do sistema excretor e osmorregulador, pois filtram e excretam os dejetos presentes no sangue.

Macroscopicamente, cada rim possui duas faces, anterior e posterior; duas bordas, medial e lateral; e duas extremidades, superior e inferior. Na borda medial encontramos o hilo, formado pelo ureter, a artéria e a veia renal, além de vasos sanguíneos e linfáticos e nervos.

Microscopicamente, é formado por cerca de 1 milhão de pequenas estruturas chamadas néfron. Cada néfron elimina resíduos do sangue, mantém o equilíbrio hidroeletrolítico do corpo, controla a quantidade de líquidos no organismo, regula a pressão arterial e secreta hormônios, além de produzir urina. Por isso, o néfron é chamado de unidade funcional do rim, pois cada néfron realiza todas as funções renais.

Função

A função dos rins é, entre outras, filtrar o sangue para eliminar substâncias nocivas ao organismo, como amônia, ureia e ácido úrico. Eles também atuam secretando substâncias importantes para nossa saúde. Entre suas funções, pode-se destacar a manutenção do equilíbrio de eletrólitos no corpo, como sódio, potássio, cálcio, magnésio, fósforo, bicarbonato etc.; a regulação do equilíbrio ácido-básico, mantendo o pH sanguíneo constante; a excreção de substâncias exógenas, como medicações; e a produção de hormônios, como aldosterona e prostaglandinas.

Os rins recebem sangue das artérias renais, ramos da aorta que vêm diretamente do coração. Depois de circular pelo grande número de vasos existentes nesses órgãos, o sangue sai, livre das toxinas, pelas veias renais rumo ao coração, e a urina desce pelos ureteres até cair na bexiga.